Saiba o que é DAO, Organização Autônoma Descentralizada

O que é DAO? (sigla em inglês para Organização Autônoma Descentralizada). Não é um conceito novo para a comunidade de criptomoedas, pois faz parte do mercado desde de 2015, quando foi criada pelo até então Software Tester da Ethereum, Christoph Jentzsch.

Com o intuito de ser um um fundo de investimentos compartilhado, onde todos os contribuintes teriam direito ao voto de quais ações seriam tomadas, a DAO continuou ganhando forças até o momento em que abriram a venda dos seus Tokens de governança para novos investidores e o modelo passou a ser uma referência de transparência e gestão corporativa.

Desde então, as Organizações Autônomas Descentralizadas vêm recebendo cada vez mais destaque e já são consideradas uma das principais tendências para transformar o modelo de gestão de grandes companhias do mercado de cripto. 

Quer saber a fundo o que é DAO e como funciona essa tecnologia inovadora? Confira esse conteúdo completo que elaboramos para tirar todas as suas dúvidas.

O que é DAO, Organização Autônoma Descentralizada?

Para entender o que é uma DAO precisamos compreender, antes de qualquer coisa, como funcionam as organizações coletivas tradicionais.

Atualmente, a forma mais comum de gerenciamento de uma organização é através da hierarquia, onde os cargos mais altos definem quais serão as ações tomadas na companhia e, somente depois, é repassado para o restante dos colaboradores – seguindo um organograma pré-estabelecido.

Por sua vez, as DAOs ou Organizações Autônomas descentralizadas não dependem dessa hierarquia. Isso porque sua governança é feita pelos proprietários dos Tokens de governança de uma determinada plataforma e cada pessoa pertencente a esse grupo possui direito de votação na tomada de decisões.

Diagrama Explicando o que é DAO

Essa autonomia garante que a organização possa funcionar de modo independente, sem a necessidade da existência de cargos e, até mesmo, das estruturas de empresas como conhecemos hoje. 

O propósito das DAOs é justamente garantir a gestão da companhia através de contratos inteligentes (conhecidos como smart contracts) e algoritmos, que permitem assim, a descentralização das operações.

Para assegurar que as decisões serão voltadas aos interesses comuns, as DAOs têm suas regras baseadas em blockchain e incorporadas ao seu código.

Em outras palavras, isso significa que ninguém pode tomar atitudes baseadas em suas próprias vontades, dando a segurança de que nenhuma medida importante será tomada sem o consentimento do grupo. 

Como funcionam as DAOs no mercado de criptomoedas?

Como dissemos anteriormente, as DAOs usam regras baseadas na rede blockchain para criarem a estrutura da sua organização digital 100% transparente, já que qualquer pessoa do grupo pode verificar o código programado.

Em seu processo de criação, o grupo se reúne para estabelecer quais serão as regras da organização autônoma descentralizada, além da plataforma que a estrutura será feita e hospedada – sendo uma estrutura que suporte obrigatoriamente os smart contracts

O que começou a ser feito apenas na Ethereum, agora já conta com diversas opções como a própria Kanna, que ainda visa trazer um impacto ambiental recuperando solos contaminados com o uso do cânhamo.

Após a criação da DAO e das regras que vão determinar sua missão e princípios, são gerados os ativos da blockchain, conhecidos como tokens de governança, que serão disponibilizados para seus investidores e contribuintes.

Todos que tiverem seu Token poderão votar, com peso igual, nas tomadas de decisões da DAO, ajudando a direcionar quais serão seus próximos passos no mercado de criptoativos. Esse princípio é o que chamamos de governança compartilhada descentralizada.

Basicamente, as decisões mais importantes serão feitas em conjunto, seguindo as regras da automatização definidas no código da DAO.

O que é DAO no mercado de criptoativos e qual sua importância?

Geralmente a DAO é criada por uma comunidade que determina as suas regras no código que é aplicado em sua estrutura de blockchain, mas isso não significa que essas regras não podem ser alteradas.

Na maioria das vezes que uma mudança precisar ser feita, ela deverá ser votada e acordada por todos os membros do grupo.

Contudo, cada grupo pode estabelecer as regras da sua organização e, em alguns casos, podem ser eleitos alguns “líderes regentes” que possuem um poder de decisão maior para as realizar ações cotidianas de menor impacto e que podem ser resolvidas rapidamente. 

Sendo assim, um dos pontos mais importantes das organizações autônomas descentralizadas é o da transparência nas operações de negócios. Todos sabem o que será feito e quais são as regras da DAO.

Outro ponto positivo para esse novo modelo de organização é a sua independência das burocracias de países ou governos, já que pessoas de diferentes lugares do mundo podem contribuir.

Esses aspectos da DAO não só otimizam os processos complexos que demandam muito tempo e recursos da empresa, como também criam uma segurança maior para trabalhar ações financeiras com pessoas que você não conhece.

Com isso, já ficou claro como as DAOs impactam o mercado de criptoativos e porque são consideradas uma das grandes tendências na reformulação de governanças organizacionais para os próximos anos. Mas como funciona na prática?

Exemplos do que é DAO. 

Como dito no começo do texto quando falei sobre o que é DAO, esse modelo de Organização não é algo novo no mercado e já existem grupos autônomos funcionando com base nessa estrutura.

Segundo uma pesquisa feita pela DeepDAO, o número de DAOs ativas cresceu 660% em apenas um ano, passando de 10 para 76 organizações, em 2020. De acordo com o site da mesma empresa de análises, hoje esse número já soma 4.830 DAOs ativas em companhias dos mais variados segmentos.

Alguns exemplos das aplicações das DAOs são:

  • Instituições de caridade: Ao criar uma organização autônoma descentralizada para um projeto social ou ONG, é possível permitir que todos vejam as ações que estão em pauta e possam votar naquelas que devem ser financiadas.
  • Propriedade coletiva: Além de votar em quais ativos físicos ou digitais devem ser comprados, também é possível criar uma votação para definir como deverão usá-los posteriormente.
  • Empreendimentos e investimentos: Assim que acumularem um determinado valor em fundos, é possível definir com o grupo qual será o empreendimento que vão investir. Os lucros das ações podem ser divididos entre os contribuintes.
  • Rede de profissionais autônomos: Apesar de serem raros casos, algumas DAOs podem querer investir em espaços físicos para os colaboradores se reunirem. Essa decisão pode ser tomada por meio de uma votação que irá definir a relevância desse investimento.

Organizações autônomas como a MolochDAO, grupo centrado em financiar projetos na rede Ethereum, já estão atuando e permitem a associação de interessados que tenham experiência no mercado.

Mas ela não é a única. Muitas DAOs ainda estão por vir e, uma delas, é a Kanna: uma empresa de impacto socioambiental que utiliza a tecnologia da Blockchain e do Cânhamo para recuperar o meio ambiente. 

Quer saber como você pode investir no mercado de cripto e gerar impacto no planeta através das aplicações da cannabis? Confira nosso site e garanta seu Token KNN.  

Organizações Descentralizadas x Organizações Tradicionais

Agora que você entendeu o que é DAO, quero destacar suas principais diferenças das organizações tradicionais que, na grande maioria das vezes, seguem um sistema hierárquico de gestão. 

E por falar nisso, esse é o principal diferencial das DAOs, pois por serem descentralizadas, tendem a ser planas, permitindo que todos contribuam com seus votos e definam o rumo da organização.

Os votos são contabilizados automaticamente e não correm nenhum risco de serem alterados, garantindo a segurança e a democracia do grupo.

As organizações tradicionais, por sua vez, realizam mudanças de acordo com o que é decidido pelos cargos mais altos da empresa. Além de ser uma prática menos democrática, limita a ação e o poder de escolha de outras partes envolvidas na companhia.

Nesse caso, o risco de aprovação de mudanças que desagradam parte das pessoas envolvidas é grande, uma vez que algumas determinações que favorecem apenas investidores ou mesmo interesses individuais podem ser priorizadas.

Como investir em uma DAO?

Atualmente, existem diversas DAOs ativas no mercado e você pode encontrar aquela que mais faz sentido para seu investimento.

Contudo, um ponto de atenção que deve ser considerado são as regras que cada uma determina para seu grupo de contribuintes. Em alguns casos, você deverá cumprir uma série de pré-requisitos para poder participar da DAO, como ter experiência no mercado financeiro, negociações de NFTs, entre outras.

O que podemos esperar das DAOs

Como discutimos no texto, a criação e uso das DAOs no mercado de criptoativos está crescendo a cada ano. 

Com o aumento de interesse e melhorias constantes feitas nas tecnologias é esperado que muitas empresas encontrem no sistema de organização descentralizada uma nova forma de gestão para seus negócios – principalmente aqueles ligados ao mercado financeiro.

Sendo assim, vertentes como Metaverso, NTFs e até mesmo Web3 já são alvos das DAOs para investimentos de risco em projetos inovadores que devem impactar o mercado nos próximos anos.

Mas não é somente assim que as organizações descentralizadas estão sendo usadas. Empresas como a Kanna estão criando seu próprio Token ESG chamado KNN, que vai promover a valorização do ativo ao mesmo tempo em que gera impacto socioambiental por meio da recuperação de solos com o uso da cannabis.

Além disso, o projeto ainda visa melhorar a economia local com o uso do CDB na medicina e outras aplicações industriais do cânhamo.

Para saber mais da Kanna Coin e como garantir seu token KNN na pré-venda, acesse nosso site neste link.

AboutYasmine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.